Por que não há perdão para quem peca contra o Espírito Santo?

No nosso bate-papo de hoje, abordaremos o porquê da ausência de perdão para que os pecam contra o Espírito Santo, conforme nos ensina a Bíblia. Essa é uma das dúvidas corriqueiras de muitos cristãos e, pior do que isso, tal dúvida é fonte de extrema inquietação de alguns, que pensam ter cometido este pecado no passado, não podendo mais serem salvos.

Para responder a isso, devo lembrar que Deus é composto da Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Ambos são igualmente Deus e têm funções diferentes.

Lembrado este ponto, vamos agora situar a questão na Bíblia. Citarei aqui dois momentos que falam sobre isso. Ambos são registros das palavras de Jesus. O primeiro autor a que me referirei é Mateus, que nos versos 31 e 32 do capítulo 12 de seu Evangelho, narra as seguintes palavras de Jesus:

Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro. (Mateus 12:31-32).

Note que Jesus deixa claro que qualquer palavra contra ele mesmo, o Messias, será perdoada, mas não contra o Espírito Santo, o Espírito de Deus.

Dito isso, vamos à segunda passagem. Trata-se do Evangelho de Marcos, de acordo com o qual, Jesus fala o seguinte:

Na verdade vos digo que todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, e toda a sorte de blasfêmias, com que blasfemarem; Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo. (Marcos 3:28-29)

Ou seja, Marcos registra exatamente o mesmo sentido do que lemos no Evangelho de Mateus: blasfêmia contra o Espírito de Deus não é perdoada.

Restam, portanto, os questionamentos: por quê? Há uma pecado maior do que o outro? Deus quer perdoar uns e não outros?

Desde já, deixo claro que Deus nos perdoa incondicionalmente. Ele quer perdoar-nos o tempo todo e assim o faz a todos que sinceramente o procuram. Foi por isso, inclusive, que o Pai mandou o seu filho Jesus Cristo para morrer por nós (João 3:16).

O que ocorre é que nem todos os homens querem verdadeiramente ser perdoados. Querer ser perdoado significa que nos arrependemos, que queremos voltar para Deus, que não mais queremos cometer o pecado.

A sinceridade de coração no querer é a chave. Note que a Bíblia deixa claro que não adianta enganar a Deus, pois ele vê o nosso coração (1 Samuel 16:7), de maneira que o arrependimento deve vir de dentro, da nossa essência. Uma vez que nos arrependemos, Deus está pronto para nos perdoar e o faz imediatamente.

C. S. Lewis escreveu certa vez algo que esclarece este ponto. Ele disse: “só existem dois tipos de pessoas: as que dizem a Deus: ‘Seja feita a tua vontade’, e aquelas a quem Deus diz: ‘A sua vontade seja feita’.” Quando nos arrependemos, dizemos que a vontade de Deus deve ser feita em nossa vida, que é o nosso perdão. Quando não há arrependimento, o homem escolhe viver afastado de Deus e, conforme sabemos, Deus não forçaria alguém a viver em sua presença sem que quisesse.

Ocorre que aqueles que se afastam de Deus e querem voltar a Ele conseguem porque há o Espírito de Deus pronto a nos ajudar a isso. Sem ele, o pecado não nos permitiria conseguir por nossa própria força. Em outras palavras, o Espírito de Deus, o Espírito Santo, é quem nos ajuda a obter o arrependimento verdadeiro quando assim o queremos.

Quando alguma pessoa nega de coração o poder do Espírito em nos ajudar a retornar a Deus, ela fica só. Fica entregue ao pecado e não terá forças para voltar ao Deus. Agora, respondendo diretamente ao que perguntou, veja que a blasfêmia contra o Espírito Santo é negar de forma sistemática o poder de Deus por meio do seu Espírito.

Quando se blasfema contra o Espírito, a pessoa está optando por virar às costas para a única pessoa capaz de ajuda-la a arrepender-se verdadeiramente e ser, portanto, restaurada nos braços de Deus, sendo perdoada.

Eis por que blasfemar contra o Espírito não tem perdão: não porque Deus não quer perdoar, mas porque a pessoa nunca quererá ser perdoada se tiver uma postura constante de negação do seu ajudador, o Espírito de Deus.

Quem blasfema contra o Pai ou contra o Filho, pode um dia reconciliar-se pois terá o Espírito Santo pronto a ajudar. Mas, quem blasfema contra o Ajudador está perdido e opta por destruir a única esperança que tinha

Assim, caro Igor, aquele que Blasfema contra o Espírito de Deus não terá perdão não porque Deus não quererá perdoá-lo, não porque um pecado é maior do que o outro, mas sim porque ele abre mão da única chance de um dia querer verdadeiramente ser perdoado.

Para terminar, deixe-me esclarecer algo: há muitos cristãos que se preocupam achando que no passado cometeram este pecado e que por isso não são salvos.

Ora, pense comigo: se, de fato, houvessem cometido este pecado nem sequer sentiriam preocupação por isso, pois a preocupação em ser aceito por Deus já denota que esta pessoa está sendo ajudada pelo Espírito Santo. Se está sendo ajudada por Ele, é porque não blasfemou, não escolheu se afastar dele, e, portanto, não precisa se preocupar, não concorda?

Deus os abençoe,

Tassos Lycurgo