O Cristão na política: estamos fazendo a nossa parte?

Quando eu era criança, sempre que alguém falava em política, era muito comum escutar expressões do tipo : “este país não tem jeito”, “a política no Brasil é uma piada” ou “o Brasil nunca será um país sério”, e seguindo o mesmo sentido a conversa se prolongava… hoje em dia, já uma mulher adulta, é espantoso assistir que embora alguns anos tenham se passado tais expressões continuam atuais na boca de muitos brasileiros.

Nos últimos anos o Brasil tem enfrentado grandes desafios governamentais o que torna imprescindível para uma melhor qualidade do voto, que a população mantenha sempre uma análise crítica do país e de seus governantes, e com a Igreja de Cristo não deve ser diferente. Mas antes de reclamar e maldizer, o que não é próprio do comportamento cristão (Filipenses 2:14), será que estamos cumprindo com a nossa responsabilidade diante do que vem ocorrendo com o Brasil? Qual deve ser o papel da Igreja do Senhor diante da atual conjuntura de nosso país?

Na Palavra de Deus em 1 Timóteo 2:1-2, o apóstolo Paulo trata como prioridade a oração pelas autoridades. Assim diz o texto sagrado: 

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade.

Do texto acima eu gostaria destacar quatro ensinamentos:

  1. É importante ressaltar que o livro de 1Timóteo foi escrito pelo apóstolo Paulo em forma de carta para um jovem pastor que havia assumido o comando de uma das igrejas que o apóstolo havia aberto. Devido a importância de suas instruções, essa epístola hoje faz parte do Novo Testamento e contém ensinamentos que deveriam ser colocados em prática pela Igreja da época e que permanecem atuais até os dias de hoje, devendo ser observados por todos os cristãos;
  2. “Antes de tudo”: A importância de se interceder pelas autoridades é tão grande, que a Palavra de Deus nos fala que “antes de tudo”, de qualquer coisa, o mais importante é dedicar tempo de oração por todos os homens e também por aqueles em autoridade.
  3. “Pelos reis, e por todos os que estão em eminência”: Cabe a Igreja de Cristo não apenas orar pelos governantes da nação, “os Reis”, mas também por todos aqueles em autoridade sobre ela, “por todos os que estão em eminência”. Ao cristão não cabe apenas orar pelos governantes de seu país, mas pelas autoridades estaduais, municipais, como também pelo seu chefe, seu pastor e seus pais.
  4. “Para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda piedade e honestidade”: Aqui a Palavra de Deus nos diz que a oração da Igreja do Senhor pelas autoridades produz uma vida “quieta e sossegada em toda piedade e humildade” para a própria igreja! Quando o cristão ora por aqueles em posição de autoridade, aquela oração produzirá frutos em sua própria vida!

Por isso convido a você cristão a fazer a sua parte. A continuar com o seu pensamento crítico em relação ao governo de nosso país, analisando e debatendo fatos e estatísticas governamentais, e que neste ano de eleições você conheça as propostas de cada candidato  votando naquele que defende os mesmo valores em que você acredita, mas que não esqueça de, “antes de tudo”, orar pelas pessoas em autoridade e tratá-las com a honra digna do cargo em que ocupam (1Pedro 2:17), lembrando-se sempre que toda autoridade é constituída por Deus (Romanos 13:1) e que “a morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.” (Provérbios 18:21). 

Que possamos orar mais e semear palavras condizentes com a nossa fé, pois há sim, esperança para o Brasil! O Brasil tem jeito sim e tem tudo para ser um país sério! 

Acorda Igreja de Cristo no Brasil! Levantemo-nos em oração e façamos a nossa parte! Daí então desfrutaremos de uma vida quieta e sossegada, em toda piedade e honestidade não na Inglaterra, não no Japão, nem na Austrália, mas em nossa pátria amada Brasil!

Sejam abençoados,

Camila Lycurgo