Como posso evitar conflitos segundo a Palavra de Deus?

Já perdi a conta de quantos conflitos graves eu vi nas igrejas, tanto envolvendo membros como também pastores. E isso, conforme sabemos, é péssimo para o Corpo de Cristo. Por essa razão, as pessoas devem ser ensinadas sobre como evitar conflitos e sobre como solucionar os que não puderam ser evitados. Tudo, é claro, segundo a Palavra de Deus. No nosso bate-papo de hoje, trataremos da parte de como evitar conflitos segundo a Bíblia; em outro momento, abordaremos a forma de solucioná-los.

Para começar, veja igreja é constituída da reunião de pessoas. E, como tal, está sujeita aos problemas decorrentes da imperfeição humana. Por essa razão, não temos como negar que há sim conflitos não só na sociedade como um todo, mas também nas igrejas.

Mesmo o apóstolo Paulo não estava imune a isso. Conforme lemos no livro de Atos, ele teve uma desavença tão séria com Barnabé, que resolveram cada um seguir o seu caminho a partir daquele momento.

E alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar nossos irmãos por todas as cidades em que já anunciamos a palavra do Senhor, para ver como estão.
E Barnabé aconselhava que tomassem consigo a João, chamado Marcos.
Mas a Paulo parecia razoável que não tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os acompanhou naquela obra.
E tal contenda houve entre eles, que se apartaram um do outro. Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre.
E Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu, encomendado pelos irmãos à graça de Deus.
E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas.

(Atos 15:36-41)

Veja que o problema aqui era o seguinte: Barnabé queria que levassem João Marcos com eles, mas Paulo não concordava com isso. Como não chegaram a um denominador comum, se separaram.

Apesar desse episódio na vida de Paulo, ele não só sabia do poder destrutivo das contendas nas igrejas como combatia muito isso. Exemplos podem ser vistos em suas cartas.

Em primeiro lugar, ouço que, quando vocês se reúnem como igreja, há divisões entre vocês, e até certo ponto eu o creio. (1 Coríntios 11:18)

Um dos principais problemas a serem combatidos, de acordo com a carta de Paulo, era o conflito e secções que estavam se formando não apenas na Igreja de Corinto, mas também na da Galácia, conforme podemos ver:

Mas se vocês se mordem e se devoram uns aos outros, cuidado para não se destruírem mutuamente.(Gálatas 5:15)

Enfim, não há como negar que a contenda e o conflito são realidades não só da igreja de hoje, mas tem estado presente em toda a história da igreja. Isso, contudo, não quer dizer que seja a vontade de Deus. Aliás, Deus abomina isso.

Estas seis coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina:
Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente,
O coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal,
A testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.

(Provérbios 6:16-19)

Até aqui, vimos duas coisas: primeiro, que há contendas nas igrejas; e segundo, que Deus abomina as contendas entre irmãos.

Mas será que a Palavra de Deus não tem nada a dizer sobre como evitar isso? Claro que sim. Há várias indicações de como podemos viver em harmonia com outras pessoas, sem nos envolvermos naquilo que é abominado por Deus.

Entre as várias indicações, duas são principais e, se observadas rigorosamente, podemos até dizer que são capazes de evitar a grande maioria dos problemas na igreja e na vida em geral. Elas são: andar em humildade e ter controle da própria língua. O que seria, então, andar em humildade do ponto de vista bíblico?

  • Ande em Humildade 

Andar em humildade é antes de tudo ser ensinável. Ou seja, é saber que Deus nos fez todos com potencialidades e que sempre podemos aprender de todas as pessoas.

Veja que embora Paulo e Barnabé tenham sido pessoas que em regra andavam em humildade, não foi o que aconteceu naquele momento da contenda deles, à qual nos referimos antes.

Às vezes, é preciso saber recuar para o bem do Corpo de Cristo. O orgulho e a soberba, mesmo que sejam apenas em decisões isoladas, não trazem outra coisa senão contenda, discussão e perdas mútuas.

A própria Bíblia esclarece isso:

O orgulho só gera discussões, mas a sabedoria está com os que tomam conselho. (Provérbios 13:10)

Muitos, contudo, acham que andar em humildade é pensar menos de você mesmo. Este pensamento está errado. Na realidade, é pensar menos em você mesmo e não de você mesmo. Não é achar que você é desprezível. Andar em humildade é saber que você é importante, mas que todas as outras pessoas também são e que elas podem sempre ter algo para ensinar a você.

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. (Filipenses 2:3)

Considerar o outro superior a si mesmo é não ser egoísta, no sentido de só valorizar os seus próprios interesses em detrimento dos interesses de outras pessoas.

Antes de decidir algo, considere o outro; antes de agir de alguma forma, veja como sua ação afetará o outro; e antes de falar algo, analise como a sua fala poderá magoar o outro. O autocontrole, principalmente sobre a própria língua, é uma das principais regras bíblicas para evitar contendas. Vejamos.

  • Controle a sua língua

Nenhum livro é melhor neste quesito do que o livro de Tiago. Logo no primeiro capítulo, ele estabelece uma orientação de comportamento que em regra é encontrada em todos os sábios da humanidade:

Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se. (Tiago 1:19)

Talvez você, amigo, não tenha a dimensão da força desta orientação. Saiba que esta é uma das regras mais eficazes em se evitar conflitos na vida, assim como na igreja.

Se uma pessoa vem até você para contar uma situação que está gerando conflito e você começa a falar muito e ouvir pouco, pode acreditar que perdeu a chance de tratar a questão da melhor forma possível.

Você deve deixar a pessoa falar, para que tanto você quanto inclusive ela mesma possam racionalizar mais adequadamente o problema. Você ficará impressionado como a sua simples disposição em ouvir o que o outro tem a dizer é um mecanismo que o ajudará a evitar que grandes contendas se iniciem.

Este conselho é tão sábio, que está presente no livro de Salomão em pelo menos dois momentos:

Quando são muitas as palavras o pecado está presente, mas quem controla a língua é sensato. (Provérbios 10:19)

Assim como:

Quem guarda a sua boca guarda a sua vida, mas quem fala demais acaba se arruinando. (Provérbios 13:3)

A outra parte da orientação de Tiago é a de que não basta que nós sejamos mais aptos a ouvir do que a falar, mas também é preciso que não sejamos daquelas pessoas que se iram com facilidade.

Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade. (Provérbios 16:32)

O homem que é paciente, que é longânimo, que demora a se irar, tem muito mais chance de ser justo do que aquele que imediatamente age por impulso.

No entanto, não se esqueça, caso você se ire sem motivos, sempre há a chance de consertar o erro.

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. (Efésios 4:26)

Segundo as Escrituras, independentemente se sua ira é justificada (por exemplo, decorre de uma situação de agressão ao caráter de Deus) ou não, procure remediá-la logo. A Bíblia tem como muito importantes a boa relação que você tem não só com Deus, mas também com os irmãos.

Por fim, podemos dizer que no nosso bate-papo de hoje nós vimos que é sim possível evitar contendas com base no que ensina  a Palavra de Deus. Gostaria de desafiar você a tentar moldar o seu caráter cada vez mais à Palavra de Deus, seguindo os conselhos da Bíblia para enfrentar problemas práticos do dia-a-dia.

Deus abençoe,

Tassos Lycurgo