11 características da personalidade do Espírito Santo (Parte 1)

Ontem mesmo eu recebi uma propaganda corporativa em que um consultor divulgava um produto específico: possibilidade de contato com ele por email pelo período de um ano, embora ele só respondesse os emails nas terças-feiras. Isso ao custo de dois mil dólares, pagos de uma vez.

Ora, imediatamente pensei, quão maravilhoso é saber que nós cristãos temos o melhor consultor do mundo, disponível vinte quatro horas por dia, sete dias por semana, e a um custo de absolutamente zero. Além do mais, enquanto o consultor corporativo restringia o assunto de sua consultoria, o Espírito Santo de Deus é especialista em tudo o que quisermos perguntar a ele.

Realmente, não há negócio melhor do que esse. Mas, será que conhecemos bem o Espírito Santo, nosso consultor? Antes de chegar a este ponto, permita-me fazer algumas considerações iniciais.

Nós, cristãos, sabemos que Deus é Trino, sendo o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Filho, Jesus Cristo, veio à Terra para cumprir a sua missão de restabelecer a nossa ligação com o Pai e, portanto, ser a única porta para a salvação, conforme nos ensina as Escrituras.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (João 14:6)

Ocorre, contudo, que o Filho ao vir à Terra se fez carne, veio como ser humano. Isso fica claro quando lemos os versículos 1 e 14 do Capítulo 1 do Evangelho de João.

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (João 1:1)

O verbo, o Logos, é que encarna e nasce como o Cristo, conforme veremos a seguir:

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. (João 1:14)

Em outras palavras, ao tomar um corpo, Jesus se torna limitado espacialmente. Ou seja, Ele não poderia, por exemplo, estar em vários lugares ao mesmo tempo. Ele teve de virar ser humano para nos substituir na expiação dos pecados.

Mas, após cumprida a sua missão, como Jesus poderia estar disponível para ajudar, aconselhar, consolar cada pessoa de toda a humanidade em cada um dos cantos do planeta, estando ele limitado espacialmente a um corpo?

Não haveria como. Por isso, Ele mandou outro em seu lugar para fazer isso. Este outro somente pode assumir a função de substituto de Jesus porque Ele, assim com Jesus, também é Deus. Só que este outro não tem a limitação que Jesus se impôs ao encarnar. Ele pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo para ser o professor, o consolador, de cada uma das pessoas que assim o queira.

Por esse motivo que Jesus não hesitou em dizer:

Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. (João 16:7)

E assim foi feito.

Jesus ascendeu aos Céus e mandou o Espírito Santo como seu substituto. O termo vicário, por exemplo, decorre do latim e quer dizer substituto e somente deve ser empregado neste contexto ao Espírito Santo.

Ninguém senão o Espírito Santo é o vicário de Cristo, pois tem natureza divina como Ele e, conforme a Bíblia, foi enfiado para o substituição validamente.

Assim, vimos que aquele que está conosco diariamente é o Consolador, o Espírito Santo de Deus. Apesar disso, é curioso que ele, o Espírito Santo, é a pessoa da Trindade de quem menos se sabe, sobre quem menos se estuda. Em outras palavras, não é muito curioso que no Cristianismo, das pessoas da Trindade, a que menos sabemos sobre é exatamente aquela com quem convivemos diariamente e com quem devemos ter maior intimidade, que é o Espírito Santo?

Mesmo as igrejas ensinam muito pouco sobre o Espírito Santo, sobre a personalidade dele, as suas características e como podemos conhecê-lo melhor. Sei que muitas igrejas acreditam no mover do Espírito, mas mesmo essas raramente se dedicam a propriamente ensinar sobre Ele.

Por esse motivo, resolvi escrever um pouco sobre a personalidade do Espírito Santo tanto no nosso bate-papo de hoje quando no próximo, nesta segunda-feira.

Para fazer isso, vou utilizar uma lista de características do Espírito Santo que foram apontadas em uma palestra que, juntamente com minha família, fui assistir antes de ontem. O palestrante desta oportunidade foi o irmão John Bevere, que pessoalmente o considero como alguém que tem importantes revelações sobre este tema.

Não vou seguir a lista exatamente da forma que ele colocou, mas certamente será uma influência importante. Após listar cada uma das características, colocarei uma passagem bíblica correspondente, e elaborarei um breve comentário sobre cada uma delas.

Conforme disse antes, hoje nós teremos a primeira parte, com 5 das 11 característica. Na próxima segunda-feira, publicaremos a segunda parte, com as 6 restantes.

Vamos, assim, às características da personalidade do Espírito Santo.

  • O Espírito Santo pensa

E aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. (Romanos 8:27)

A palavra intenção no original grego deriva de “phroneo”, que quer dizer ter propósito, intenção, entendimento; enfim, ter pensamentos, ter uma mente.

A essência do Espírito Santo não é, portanto, uma força, um vento, uma pomba, um fogo, mas sim e antes de tudo uma pessoa que pensa. Nós podemos até representá-lo com um desses símbolos, mas devemos saber que o Espírito Santo de Deus é uma pessoa e tem uma mente, e é por isso que sempre podemos perguntar tudo a Ele.

  • O Espírito Santo deseja

Todas essas coisas, porém, são realizadas pelo mesmo e único Espírito, e ele as distribui individualmente, a cada um, conforme quer. (1 Coríntios 12:11)

Esse verso aqui se refere aos dons do Espírito, que estão dispostos do verso 8 ao 10 do mesmo capítulo. Em uma outra oportunidade, falaremos sobre estes dons do Espírito. No texto de hoje, o que é importante ressaltar é tais dons são dados segundo a vontade do Espírito Santo de Deus.

Que lições podemos tirar disso? Uma lição importante é a de que é a vontade do Espírito Santo que nos possibilita os dons, de maneira que não nos devemos gabar por operar em algum deles. Todos provém de Deus e não de nós mesmos. Qualquer vaidade ou orgulho por operar em algum dos dons do Espírito devem ser abandonadas, pois aqui se trata de algo que recebemos de Deus para uso no corpo de Cristo.

  • O Espírito Santo ama

Recomendo-lhes, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que se unam a mim em minha luta, orando a Deus em meu favor. (Romanos 15:30)

O Espírito Santo nos ama verdadeiramente. Paulo, aqui, pede oração não apenas porque estão unidos em Cristo, mas também porque usufruem do amor que vem do Espírito Santo de Deus. O Espírito Santo nos ama verdadeiramente e nós fazemos uso do amor que provém dele.

Assim, quando às vezes pensamos que não conseguiremos perdoar uma pessoa, por exemplo, é importante que nos lembremos que com a ajuda do Espírito Santo e do seu amor, podemos muito mais do que imaginamos nesta área.

  • O Espírito Santo se alegra

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,
mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. (Gálatas 5:22-23)

O Espírito Santo é uma pessoa alegre, cheia de felicidade. O Espírito Santo não gosta de tristeza, de depressão, de lamentações.

Você pode estar pensando que às vezes não há motivos no dia a dia para a alegria, mas veja que as Escrituras não dizem que precisamos de novos motivos a cada dia para estarmos alegres.

As Escrituras colocam a alegria como um fruto do Espírito. O fruto deve nascer quando os galhos, que somos nós, estamos conectados ao tronco principal, que é Cristo.

Veja o que Jesus disse a esse respeito:

Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma. (João 15:5)

  • O Espírito Santo nos encoraja

Assim, pois, as igrejas em toda a Judéia, e Galiléia e Samaria tinham paz, e eram edificadas; e se multiplicavam, andando no temor do Senhor e consolação do Espírito Santo. (Atos 9:31)

O Espírito Santo é por excelência o nosso consolador. É aquele com quem podemos contar a qualquer hora do dia ou da noite para expor os nossos problemas e angústias. Ele sempre trará conforto ao nosso coração, nos encorajando para ir adiante.

Espero que você possa meditar neste final de semana sobre estas características, tentando entender que o Espírito Santo é uma pessoa e portanto devemos nos relacionar com ele como tal.

Espero ainda que procure aumentar a sua intimidade com o Espírito Santo, para que possa cada vez mais ser capaz de ouvir a sua voz, o seu conselho, a sua direção, que é sempre de acordo com a Palavra de Deus.

Na segunda-feira, apresentaremos mais seis características da personalidade desta pessoal fabulosa da Trindade.

Deus abençoe,

Tassos Lycurgo